Galeria de Artes2021-01-14T14:21:58+00:00

Exposições

Exposição: VIZINHAS – pintura digital

de ARTHUR LESTAK

curadoria: Ananda Cruz

abertura: 21-11-2020, às 14 horas

Local: Espaço Cultural Alberico Rodrigues
www.albericorodrigues.com.br
espacoalberico@albericorodrigues.com.br
Praça Benedito Calixto, 159 – Pinheiros
Telefone: (11) 3064-9737

Observação: A exposição permanecerá aberta ao público do dia 21-11-2020 até o dia 23-01-2021, de segunda-feira a sábado, das 14 às 20 horas.

Sejam bem-vindos

Obs.: As pinturas estão à venda

Arthur Lestak

Nasceu em 1993, na cidade de Uberlândia, Minas Gerais. Enquanto era estudante de Design Gráfico, o artista realizou em sua cidade natal, entre os anos de 2014 e 2015, cinco exposições com suas ilustrações em aquarela, nanquim, lápis de cor, pintura digital, à óleo e acrílica. Os materiais – muitas vezes, mistos – usados por Lestak perfazem um mundo lúdico o qual o autor cria figuras e ambientes surrealistas. Não se limitando ao espaço das artes plásticas, o artista publicou o livro O Lepidóptero e iniciou suas experimentações no audiovisual com o curta-metragem Como um filme francês, triste.

Estudou Cinema no Centro Europeu de Curitiba, de 2015 a 2016, local onde aprofundou seus conhecimentos e realizou seu segundo curta-metragem, Além do Violeta, que recebeu o prêmio de Melhor Ator no Festival de Cinema de Pinhais. Na cena independente é conhecido por dirigir videoclipes de cantoras como Urias, Kaya Conky e Mia Badgyal, além de produzir fotografias autorais e de moda. Em 2019 realizou seu primeiro longa-metragem, Os Dois Convencidos, filme independente que trata da incomunicabilidade nas relações íntimas.

Neste ano o artista se dedicou à série de pinturas digitais VizinhaS, na qual a temática da sociedade de consumo individualista pós-moderna é expressa no padrão de beleza imposto às mulheres que estão representadas em pares em 12 pinturas.

Atualmente Lestak vive e trabalha na cidade de São Paulo, realizando a graduação em Artes Visuais e sua produção contemporânea, direcionada à área bidimensional da pintura digital e aos recursos audiovisuais.

Ananda Cruz

Curadora

Ananda Cruz deu princípio às suas atividades de curadoria com a exposição Vizinhas de Arthur Lestak após ter tido a oportunidade de participar da disciplina Curadoria e Expografia de Exposições de Arte da pós-graduação em Artes Visuais da UNICAMP, ministrada pelos professores Sérgio Niculitcheff e Ricardo Coelho. Atualmente é mestranda em Artes Visuais pela USP e pesquisa sobre pinturas, cinema e emoções advindas do contato com obras de arte. É bacharel em Ciências Sociais pela UFU e pratica fotografia analógica nas horas vagas.

VIZINHAS

“Nenhum vizinho em particular oferece um ponto de referência para uma vida de sucesso; uma sociedade de consumidores se baseia na comparação universal- e o céu é o único limite.” — Zygmunt Bauman

Nos trabalhos que compõem esta exposição, as figuras femininas são apresentadas em pares, sendo que uma mulher está sempre com uma parte oculta. Os corpos dessas mulheres revelam frescor e frieza e explicitam além de uma questão estética, uma preocupação social em relação à anulação do outro.

As 12 pinturas que aludem às fotos de mulheres posadas que poderiam ter sido compartilhadas no aplicativo instagram nos convida a pensar no fenômeno do compartilhamento da vida íntima nas redes sociais. A busca por atenção, likes, curtições e inscrições no canal, na página ou no perfil, a todo momento compõem o cenário mercadológico atual, no qual a venda de produtos de beleza, de alimentação e bem-estar se combinam com o cancelamento de famosos e influencers que cometem erros ou deslizes dentro ou fora desses canais.  A busca não é pelo bem-estar, e sim pela atividade de comprar. O desejo, que antes era o de ter a vida como a do vizinho, hoje passou a ser do influenciador digital, que confessa seus problemas privados individuais e bastante íntimos.

As mulheres retratas podem ser uma dessas influenciadores ou apenas anônimas que passeiam pela praia. É no translúcido da água que Arthur Lestak brinca com seus tons azuis e destaca as formas harmônicas das figuras que expressam juventude no brilho dado às variadas cores de pele e nos corpos esguios.

Numa sociedade de consumidores, os momentos efêmeros são congelados em segundos para agradar os seguidores. As expressões gélidas são combinadas com as cores frias e expressas pelas bocas seladas e olheiras profundas, a magreza preeminente revela a idealização presente em nossa sociedade. A outra, mesmo que se iguale ao padrão, está de costas, pela metade, ou ainda, tapada por um pássaro. São belezas diversas, mas que se encaixam na mesma forma estereotipada de beleza feminina. E se não bastassem os comerciais, desfiles, novelas, propagandas induzindo e controlando os corpos, as redes sociais são mais um vício que contribui para a anulação de várias personalidades, inclusive a nossa e a de nossas vizinhas.